Polícia de São Paulo: entre greves, mortes e injustiças.

Polícia de São Paulo sai hoje às ruas em greve

Milhares de policiais foram às ruas de São Paulo hoje em repúdio ao aumento (?) de 5% concedido à categoria pelo almofadinha de plantão na cadeira de governador, João Dória.

A presidente do Sindpesp -o Sindicato dos Delegados do Estado de São Paulo- declarou que o aumento é irrisório, diante de um cenário onde os salários dos policiais já acumula uma defasagem de quase 50% de reajuste.

O que significa que mesmo tendo um aumento de 50% em seus salários, estariam apenas atualizados.

A partir daí haveria um aumento realmente efetivo.

Os 5% concedidos por Dória são uma espécie de piada, apesar da promessa em campanha de que os policiais civis do Estado teriam ‘ o segundo maior salário do país até o final de seu governo.’

Balela e falatório eleitoral típicos de ‘bolsodória’, perito em prometer em campanha o que não pretende nem pode cumprir depois de eleito.

Dória é apenas um oportunista político que usa os métodos dos velhos caciques, como se o mundo não tivesse mudado.

Mas o mundo mudou, a violência atinge níveis extremos e a organização do crime igualmente.

Os policiais nas ruas, enfrentando a morte todo santo dia, sabem disso muito bem.

Por isso, policiais militares, funcionários da administração penitenciária e policiais civis estão hoje em greve nas ruas de São Paulo, indignados.

4 de novembro, policiais em greve no Bairro da Luz, São Paulo

Foram, ao que se sabe, três atos, a avenida Tiradentes, avenida General Ataliba Leonel e rua Brigadeiro Tobias, no centro histórico.Já se sabe há muito da situação precária da classe, desprezada pelas administrações de governos incompetentes, mas a situação chega ao limite de que o auxílio alimentação, com uma refeição diária é discutido como ‘medida generosa’ do governo’ e não uma obrigação justa.

Para tornar a situação ainda pior, mais um policial, entre tantos, foi morto no dia 1 em confronto com criminosos.O sargento de 52 anos Ronaldo Ruas Silva foi baleado na barriga após sua arma falhar em enfrentamento com criminosos em Paraisópolis, bairro de São Paulo.

O policial morreu na madrugada do dia 2, no hospital, após ser operado sem sucesso.

O crime ocorreu numa simples abordagem, coisa corriqueira numa cidade que é uma das mais violentas do mundo e cujos governos atam as mãos da polícia, única responsável pela segurança dos cidadãos.

Dória e a politicalha que vive no mundo da lua e das lagostas parece desconhecer que não existe sociedade civilizada ou desenvolvida em meio à violência.

Sociedades sem segurança são atrasadas e sujeitas às barbáries que vemos todos os dias em cidades como São Paulo.

E a segurança passa necessariamente pelas mãos dos policiais.

Que não recebem dos governos o justo reconhecimento.

E, bem pior que isso, nem o justo salário.

A sociedade, entretanto, apoia os policiais há muito tempo.

O que nem de longe ocorre com políticos oportunistas como Dória, que usa o que pode para se eleger e depois abandona, como fez com o presidente.

Cidadãos honestos não desprezam a polícia.

Quem despreza a polícia é bandido.

Ou seus amigos.

marcoangelifull

publicitário, artista plástico e cidadão

Mais de marcoangelifull

Comentários

Mais em Gerais