Cultura de duas rodas

Rock, jukebox e duas rodas na madruga: bons tempos

Na década de 60, os rockers, garotada rebelde que curtia rock'n roll, especialmente na Inglaterra, se reuniam nos Cafes, restaurantes de beira de estrada onde costumavam parar também os caminhoneiros.

O rock rolava solto nas máquinas de Jukebox, o único meio de se escutar rock naquela época.

Viajavam de moto de um café para outro, nas recém construídas estradas britânicas, apostando corrida.

Não eram pilotos profissionais, não dispunham de equipe, e preparavam eles mesmos suas máquinas.

Envenenavam os motores e modificavam, cada um deles, suas máquinas.

O objetivo era alcançar a perseguida velocidade de 100 mph, chamado por eles de TON.

Os caminhoneiros zombavam com a molecada, que adorava rock, vivia correndo de um cafe pra outro mas não eram pilotos profissionais.

Chamavam os garotos de Cafe Racers, tirando uma.

Em Londres, o percurso clássico era o racha que ia do Boulevard Cafe, na Picadilly Avenue, até o Cafe Royal, na Regent Street.

Sempre as duas da madruga.

Corriam as Triumph, Norton e BSA, mas os meninos inventavam, e surgiram híbridos reunindo o melhor de várias motos, como a Triton, que usava motor de Triumph em quadro de Norton.

As Cafe Racers ficaram famosas, virou um estilo na Itália, Alemanha e outros países europeus.

Hoje, no mundo, são feitas Cafe Racers com todo o tipo de motocicletas.

Os Rockers jamais morreram, estão por aqui, curtindo o bom rock'n roll e voando pelas estradas, curtindo o vento.

marcoangelifull

publicitário, artista plástico e cidadão

Mais de marcoangelifull

Comentários

Mais em Arte e Cultura