‘Os Estados Unidos estão prontos para abraçar a paz com todos os que a buscarem’.

Recado de Trump hoje pela manhã é claro

Para alívio (ou decepção) dos alarmistas de plantão, Trump negou hoje, em seu discurso oficial, qualquer tipo de retaliação militar à ação do Irã na noite de ontem.

Trump afirmou não terem sido registradas mortes de americanos ou iraquianos no atentado, e que os danos ‘foram mínimos.’

Trump vai impor,entretanto, novas sanções econômicas ao Irã.

Na verdade, esse parece ser mesmo o melhor caminho.

Mexer com o bolso de terrorista deve funcionar: diminui o ânimo pra ficar explodindo bomba pelo mundo, e reduz sua capacidade de sobrevivência.

A visão de Trump é realista, e nada tem a ver com o mimimi dispersivo em que Obama era mestre ao lidar com conflitos desse tipo:

Trump afirma que, enquanto no poder, jamais permitirá que o Irã tenha armas nucleares.

Disse ainda que acordos nucleares de nada valem com extremistas, e aconselha aos países que ainda mantém o acordo a abandoná-lo -caso da Alemanha, China, Reino Unido, Rússia e França.

Quanto a Soleimani, que teve o cpf cancelado há dias, afirmou que o gajo era responsável pelas maiores atrocidades cometidas pelo regime iraniano e planejava novos ataques quando foi detido:

‘Deveria ser eliminado há muito tempo.’

Trump aguardou a avaliação oficial dos danos causados pelo ataque iraniano para fazer seu pronunciamento hoje pela manhã.

Como Trump afirmou, acordos nucleares nunca funcionaram efetivamente.

Teerã é a prova viva disso: no domingo, já declarou que não manterá os compromissos do acordo.

Como se cumprisse anteriormente.

O que Trump parece estar buscando é uma solução mais efetiva contra os produtores pesados de terrorismo no mundo.Esse é o caminho.

O mundo não pode conviver com o terror e o medo, nessa escalada de violência que temos assistido.

Há coisas melhores e mais produtivas a que temos que nos dedicar, como diminuir a fome no planeta, por exemplo.

Bolsonaro, acertadamente, se posiciona ao lado de Trump.Não poderia ser diferente, no caso de nosso povo pacífico por natureza.

Os que defendem a violência -por exemplo a de maduro contra seu povo- não tem verdadeiramente nacionalidade...são apátridas.

Porque, na definição do que é uma nação verdadeiramente, o conceito de paz é fundamental.

marcoangelifull

publicitário, artista plástico e cidadão

Mais de marcoangelifull

Comentários

Mais em Política