A esquerda que perdeu as ruas e as jornalistas de ocasião.

O lamento das carpideiras socialistas: veras e mirians deliram e mentem

Vivemos todos para ver o inacreditável acontecer: a esquerda, outrora donas das ruas, ao lado de seus parceiros corruptos, sacripantas e sanguessugas, se rebela contra o protesto marcado para o dia 15 de março.

Pulhas confabulam, inventam ‘notícias’ para alimentar a máquina de mentiras de seus agregados, os jornalistas de aluguel.

Vera Magalhães, por exemplo, aquela que nunca soube o que fazer com as mãos diante das câmeras, desajeitada e tosca, continua igual.

Não sabe ainda onde enfiar as mãos, corpo estranho, e pior: continua em sua mediocridade não sabendo distinguir fatos do que gostaria que fosse realidade.

No delírio do ‘impeachment’, ela e outras jornalistas de ocasião buscam vídeos antigos que ‘transformam’ em atuais, inventam mentiras grosseiras e, naturalmente, passam vergonha.

Mas, para esse tipo de criatura muito especial que é o comunista -enrustido ou não- passar vergonha é fato corriqueiro.

Faz parte da batalha, cumpanheiro.

Os canhões da imprensalha -literalmente, os canhões- se voltam para Bolsonaro, que supostamente pede ao povo que o apoie nas ruas.

‘Impeachment’, Impeachment’, gritam histéricas as carpideiras comunistas, de mirians a veras, passando por cantanhedes.

Pois é.

E se fosse?

E se o presidente brasileiro pedisse ao povo que o apoiasse?

Quantas vezes, direta ou indiretamente, em seus bons tempos, o pulha semi analfabeto que governou e saqueou este país em nome do PT convocou o povo para ir às ruas?

Muitas, não é mesmo?

E onde estavam as carpideiras naqueles dias?

Gritando impeachment?

Ou saindo eufóricas de bandeirinha vermelha em punho para apoiar o ladrão?

Hoje, quando a esquerda perdeu as ruas para os brasileiros, a imprensalha e suas gralhas, agora ‘respeitáveis jornalistas’ serve de porta voz aos ganidos de lamento de seus patrões, atolados em dívidas e desesperados para que volte o braziu do atraso.

São esses patrões que temem o povo.

É Maia que teme o povo.

Os deputados venais,os senadores corruptos.

A eles, que nada tem -e não querem ter- de povo, não interessa a governabilidade de Bolsonaro, nem a de ninguém que queira ver o Brasil crescer.

A eles interessa apenas a manipulação -vide globo- e um sistema podre que favoreça a sua própria roubalheira e privilégios.

Só que o povo cansou e não pensa mais como eles.

Não é mais manipulado por globos.

Por isso estará nas ruas no próximo dia 15.

Esse é seu medo.

Um povo livre, com opinião, que não se curva e luta pelo seu país só significa uma coisa:

O fim dos maias et caterva.

Um dia, mais cedo do que se imagina, eles serão substítuidos por gente interessada no Brasil, verdadeiramente.

Nesse dia, jornalistas de ocasião como veras ou mirians já não existirão.

marcoangelifull

publicitário, artista plástico e cidadão

Apoie a independência do nosso trabalho. Colabore com qualquer valor através da nossa Vakinha virtual

Mais de marcoangelifull

Comentários

Mais em Política