Santa Sara de Kali, o acampamento cigano

Minha admiração pelo povo cigano vem de longe.Vem das cuevas na Espanha, onde eu fotografava nas madrugadas inebriado pelo som do violão enlouquecedor do flamenco, sem saber exatamente onde acabava a música e onde começavam as cores que rodopiavam, giravam,faziam composições impossíveis, doidas, livres como a alma daquele povo, que eu encontrava, volta e meia,vagando como eu pela Espanha, por castelos, por praias...

Aquele espírito, aquela mágica acabou me impressionando profundamente, e carreguei aquelas cores nos olhos desde então, e aquela música dentro de mim...

Em dezembro de 2006, fiz a primeira matéria deste blog.

Além de seu significado óbvio, por ter sido o nascimento dessa ideia, a matéria sobre o acampamento cigano foi, finalmente, um registro maior e uma espécie de pequeno reconhecimento dessa cultura e desse povo de alma livre, alegre, contagiante.

Nestes anos, tenho voltado ao acampamento, e lá tenho amigos que prezo.

No dia 24 de setembro passado, levado novamente pela mão de meu brother Aki Mohammad, voltei para a festa de Santa Sara de Kali.

E, com a mesma sensação de anos atrás, quando eu e a jornalista Iara Bernardes produzimos a matéria, registrei o que pude, novamente encantado.

Encantamento, aliás, é uma palavra simples de se entender,em seu significado total, quando se está entre o povo cigano, em uma de suas festas.

Eu não ia publicar as fotos, mas meus desenhos...

A coisa mudou completamente de rumo quando comecei a fotografar, as crianças penduradas em mim, me apontando coisas e lugares...

Foram cinco horas e 500 imagens de amor à primeira vista, literalmente...especialmente pelas crianças, especialmente pelos seus olhos...

Esqueci do pessoal que estava comigo,e que gravava uma entrevista com os ciganos, numa tenda distante....´

De 2006, alguns comentários:

´(...)o o artista plástico Marco Angeli ligou me convidando para irmos, ele, sua assistente Eriane, eu e o vereador Akdenis visitar um acampamento cigano existente muito próximo de onde eu estava(...).O Marco tinha uma ideia na cabeça e virou mesmo um personagem francês de quadrinhos: Ideiafix.Na verdade o artista nos convenceu a sonharmos o sonho dele...Assim, lá fomos nós conhecer um acampamento cigano,na cidade de Itapevi, num domingo vago.Como tinha chovido muito no sábado, ao chegarmos ao local encontramos muitas poças d'água e muito barro...´

'(...)Ah! O Marco? Cadê o Marco?, nos perguntamos

Olhamos pra uma barraca distante e lá estava ele, deitado literalmente no barro, tirando seus retratos,as crianças embevecidas com aquele homem de sorriso infantil e com uma máquina apontando pra eles... Perseguindo seu sonho, o sonho dele...'

Iara Bernardes, dezembro de 2006

*Publicado originalmente em setembro de 2011

Clique aqui para ver o material fotográfico completo

marcoangelifull

publicitário, artista plástico e cidadão

Apoie a independência do nosso trabalho. Colabore com qualquer valor acessando: apoia.se/marcoangelifull

Mais de marcoangelifull

Comentários

Mais em Gerais