É hora: Imprensa e arte livres unidas.

Não foi, como muitos imaginam, a partir de 2002 -quando a esquerda entrou no poder- que a cultura brasileira foi tomada e aparelhada pelos socialistas

Já no regime militar, nos anos 1960, os comunistas invadiram a literatura, a música, a arte e as redações dos jornais.

Especialmente entre os jovens, a cartilha utópica e mentirosa do comunismo grudou como chiclete.

Tudo de bom e humanitário, inclusive a defesa das minorias oprimidas estava alí, um belo sonho dourado.

Naturalmente, como hoje se sabe, não passava de um enorme ajuntamento de mentiras criada por uma elite de facínoras sedentos de poder e totalmente alheios à própria ideologia que pregavam.

As distorções óbvias da cartilha foram sendo, durante anos, ignoradas pelos que lavavam a a cabeça alheia e dos que tinham o cérebro lavado.

Distorções como a do comunista chique Chico Buarque, morando em Paris e se lixando para o povaréu que sofria e sofre no Brasil.

Ou de toda a geração surgida de comunistas de Iphone, alienados e absolutamente distantes da cartilha comunista dos anos 1960.

A partir de 2018, com a chegada surpreendente de um presidente conservador ao poder -Bolsonaro- trazido pelas mãos do povo que já não suportava mais a corrupção, o atraso e a falácia socialista que afundava o país, a coisa mudou de figura.

É o momento do país resgatar seus valores mais caros.

Entre eles, a cultura, tomada e corroída pela esquerda.

Para quem duvida, basta observar a imagem brasileira no exterior.

Sendo otimista até, a literatura brasileira é vista através a duvidosa ótica -de péssima qualidade, aliás- dos livros de Paulo Coelho.

A pintura, através das florzinhas coloridas de Romero Brito.

A música...de quem mesmo?

Quanto ao jornalismo, a grande imprensa está encharcada de velhos escribas de aluguel que se recusam a tirar da testa o velho e surrado carimbo do esquerdista bacaninha e humanitário.

É hora de renovação.

Para isso Jair Bolsonaro foi eleito.

Na cultura, na economia, na gestão social

E, especialmente, de renovação no jornalismo e da arte.

É sobre isso que falamos no vídeo, assista.

É preciso que jornalistas e artistas de verdade, cientes de seu papel social, se movimentem para ocupar seu espaço.

Espaço tomado pela esquerda unida, que sempre protegeu seus iguais.

A união, aliás, é algo a ser aprendido pelos conservadores.

Sem ela, não existe nação civilizada digna do nome

Ou existe a nação comunista.

Que todos estamos carecas de saber como funciona.

Vide Cuba, Venezuela, e agora a Argentina.

O Brasil não tem vocação -e não merece- tal destino.

*Meus agradecimentos à Bia Kicis e Valéria Scher pela força.

marcoangelifull

publicitário, artista plástico e cidadão

Apoie a independência do nosso trabalho. Colabore com qualquer valor através da nossa Vakinha virtual

Comentários

Mais em Arte e Cultura